“Regras, sem elas seríamos selvagens”

A frase acima retirei do filme John Wick Chapter 2, uma surpresa já que no filme o que não há são regras. Aliás, elas até existem mas John se encarrega quebrá-las.

Quando falo de lei e regras posso te imaginar torcendo o nariz e se perguntando: Pra que essas regras? Posso viver sem elas? Sou livre! Será mesmo?

Há hoje um repúdio a tudo que se refere a leis, regras, principalmente quando são aplicadas ao comportamento humano. A proposta é que o ser humano seja livre para viver seus costumes e estabelecer seus próprios limites. Mas é aí que reside o problema.

Ratos se organizam. Baratas se organizam. Vegetais seguem um conjuntos de leis para crescer e frutificar. Por que seria diferente conosco? Você certamente não vê dificuldades em leis físicas, leis de trânsito ou os códigos de defesa do consumidor, do idoso ou adolescente, mas quando se trata de leis ou padrões morais para reger a conduta de pessoas cria-se uma guerra.

Nessa guerra estão os liberais e os conservadores e a impressão que tenho é que a partir do momento em que sustento um conjunto de leis para conduzir meu comportamento sou tido como um retrógrado, um fundamentalista! Como pastor preciso lidar com situações em que é necessário prescrever orientações práticas para os membros da minha comunidade, e isso inclui regras e normas. De modo geral não temos problemas em seguir padrões. Temos a Bíblia como regra de conduta fundamental para quem deseja uma vida segura, plena e pacífica.

“Cada parte da Escritura é inspirada por Deus e útil de um modo ou de outro — para mostrar a verdade, denunciar nossa rebelião, corrigir nossos erros, ensinar como viver o caminho de Deus. Por meio da Palavra, somos unidos e moldados para as tarefas que Deus deseja nos incumbir.” 2 Timóteo 3.16-17 (Biblia A Mensagem)

O texto é claro, as regras são para os que desejam uma nova realidade de vida, para aqueles que estão cansados das receitas fáceis que surgem diariamente. Talvez seja pra você que tem experimentado fracasso após fracasso e vive num fluxo constante de vazio e falta de propósito.

Precisei visitar um amigo que passou por uma cirurgia de retirado do reto, um procedimento bem delicado. Eu o vi no leito, fraco, sonolento e sem forças até para conversar. Ao descobrir a doença meu amigo procurou de diversas formas retardar o avanço do câncer e assim procurou mudar hábitos, alimentação, o seu estilo de vida. Mas já era tarde. A doença já havia comprometido alguns órgãos internos. Creio que ele irá se recuperar e retornar sua vida com sua esposa, filhos e netos. E se ele houvesse vivido com mais regras, mas limites? Será que o veria naquele quarto de hospital e naquelas condições?

Sabe, visitas a hospitais e cemitérios são sempre impactantes e como pastor preciso encarar sempre esses ambientes. Mas há também a oportunidade de pensar no que é a vida sem as regras, sem leis e sem limites. Penso que quando falo de leis físicas você pode concordar comigo. E quanto as leis morais? A Bíblia traz um conjunto de leis morais, úteis para o bom convívio em sociedade.

Mas o código da lei, em si, é bom; é sabedoria da parte de Deus, e cada mandamento é saudável e santo.” Romanos 7.12 (Biblia A Mensagem)

Muitos crimes são motivado por adultério e brigas por herança levam filhos a assassinarem seu pais. Mas nunca será dito que esses atos são violações, ou que aconteceram por se desprezar as leis morais contidas na Bíblia. Se você por acaso nã0 conhece essas leis, leia Êxodo capítulo 20.3-17.

Possivelmente você dirá que nesses casos, violência urbana, conflitos familiares e convulsões sociais, não podemos usar a Bíblia por ser um livro religioso restrito a um grupo específico. Mas o que deveria servir de regra e conduta para, quem sabe, diminuir as desigualdades entre pobres e ricos, homens e mulheres? Garanto para você que o nenhum cidadão, por mais correto que seja, terá condições de servir como parâmetro em qualquer tipo de julgamento.

“O homem tornou-se lei para si próprio”. 

Quais seriam as regras? Lembre-se que uma mal que corrói os relacionamentos é o egoísmo, a cobiça. Esses parecem ser as únicas normas para se ter algo. O homem tornou-se lei para si próprio. Eis a nossa ruína. Sim, as pessoas devem ter sua liberdade. Se o cartunista deseja viver como mulher, essa postura se torna sua lei. Se a atriz deseja agora ser chamado de ator, isso então se torna a sua norma de vida.

“O compromisso de viver de acordo com certos valores é importante para nós, e devemos lutar para protegê-los e guardá-los.” (Cloud & Townsend, Limites)

A tragédia é quando esses valores estão corroídos por uma moral egoísta guiados pela padrão hedonista que tem dominado o pensamento comum. A busca pelo sucesso, o desejo pela fama tem sido o alvo e a prioridade e a cada dia surge um método, uma filosofia e até leis para se alcançar o proposto.

“Os limites ajudam-nos a não negar e, sim, a reconhecer antigos valores prejudiciais, permitindo então que Deus possa mudá-los.” (Cloud & Townsend, Limites)

Sem regras seríamos selvagens e para aliviar esse fato chocante criamos uma regra: cada um agora é regra para si próprio. Não aceito suas leis, vivo as minhas. Não preciso dos códigos morais da Bíblia, vivo minha própria história com minhas regras e parâmetros. Ao pensar assim decretamos nossa falência. Por seguir suas próprias leis o abismo entre ricos e pobres nunca foi tão profundo, as desigualdades entre classes e pessoas nunca foi tão flagrante e as florestas e rios nunca foram tão agredidos. Causamos o caos por desejar seguir nossos mandamentos e instintos.

“Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite. Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que, no devido tempo, dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha; e tudo quanto ele faz será bem sucedido”. Salmos 1:1-3

Bem, quanto a mim, tenho prazer em seguir a lei, os mandamentos de Deus. Há alguns anos vivi sem lei, meu raciocínio e o que achava melhor guiavam meu trabalho, meu relacionamentos, meus gostos, Mas tudo isso trouxe tudo aquilo que mais procurava me distanciar. Até que me deparei com a perfeita Palavra de Deus e por amor decidi obedecê-la e voluntariamente me tornei uma escravo da lei da liberdade (Tiago 2.12).

Sou um homem livre e tenho prazer na lei de Deus e nela medito de dia e noite. Se você está cansado do padrão cego deste mundo, faça como eu: renda-se!

Categorias: Sociedade

Reconectados

O blog Reconectados é escrito por Eneas Oliveira, pastor e radialista. Atualmente lidera um grupo de cinco congregações adventistas na região de Parelheiros, zona sul de São Paulo. Marido da Priscila e pai da Stellinha.

%d blogueiros gostam disto: